Palhaços

Cada um tem um palhaço dentro de si. Será? Às vezes, tenho a impressão de que não temos apenas um, mas sim, muitos palhaços. A prova, está nas duas grandes personalidades que perdemos nos últimos dias:

Chico Anysio (na foto com Bruno Mazzeo)

Millôr Fernandes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Chico em seus mais de duzentos personagens não era apenas um palhaço: era uma multidão. Millôr com seus rabiscos e frases, era eclético, para alguns refinado. Se refinado significa mostrar de tudo um pouco nos fazendo pensar mais, que assim seja.

Sim, podemos ser muitos, inúmeros, mas sem deixar de ser si mesmos. Para dar alegria ao povo, não jogavam suas ideias e pensamentos no lixo; apenas as exibiam de forma especial.

Com a morte dos dois nos perguntamos: quem vai fazer o povo rir agora? Como vamos rir com tamanha saudade? O riso é  um sintoma de superação. Então, aquele que advinhar o que faz o público esquecer seus problemas, ou incentiva o público a superá-los; será um grande humorista.

Em homenagem

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s